segunda-feira, 16 de junho de 2008

Before the devil knows you're dead

Faz uma semana que assisti a "Antes que o Diabo saiba que você está morto" e até hoje estive em dúvida por onde começar a escrever sobre este filme assustador, certeiro e poderoso. Terminada a sessão fiquei com a vontade de escrever a Sidney Lumet, o diretor, um email dizendo "Muito Obrigado" (caso alguém saiba como fazer para esta mensagem chegar até ele, envie-a em meu nome, por favor!).

Se grandes obras se definem por um poder de síntese e densidade, por um acabamento impecável, precisão de meios e uma reivindicação de universalidade, este filme é sem dúvida uma delas, atingindo em cheio a grande angústia desta época (a de agora mesmo). Como se não bastasse o conteúdo, a forma é de um acerto não menor: fiquei pensando que o filme poderia ter sido editado dentro de uma narrativa mais clássica e depois sofrer a edição que fragmenta o tempo narrativo, e no meio desta semana li isso numa crítica; e continuo até hoje maravilhado com aquele véu negro, denso, sobre a fotografia todo o tempo, construindo a dramaticidade. E pela maestria como a história no meio do filme abandona a estrutura centrada em dois personagens para um outro arranjo ao incorporar uma terceira figura que estabelece um equilíbrio narrativo totalmente diferente.

E como se tudo isso ainda não fosse suficiente, um conjunto de atrizes e atores em desempenhos soberbos, longe da pieguice melodramática que normalmente garante oscars. E como tudo neste filme significa e arrisca mesmo chegar ao nível do simbólico, a direção de arte é alucinante ao escolher o design asséptico, luxuoso e muito de moda da portaria onde interfonam ao diabo. E há também uma referência ao Brasil no filme, super acertada, uma miragem como destino de uma fuga da vida que não se pode mais suportar. E que miragem!

No meio disso tudo, uma menina ao telefone chama o pai de fracassado por não ter conseguido 130 dólares para ela ir a um parque de diversão. Fiquei achando que é esta cena, muito cotidiana, que o diretor queria nos mostrar, parece que tudo gira ao redor dela.

Nenhum comentário :