quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

cães

O papa me deixou com tanta raiva que pulei o comentário sobre o lançamento do filme de Moca e Kibe, segunda à noite, dia 22, no novo cinema da cidade, na Praca Castro Alves. Antes do filme, é preciso dizer que é uma grande emocao ver o Guarani-Glauber Rocha reaberto, com um desenho novo muito bom. Um único senao existe no uso do terraco sobre a ladeira da Barroquinha como estacionamento.
A sala lotou, a festa foi muito bonita (a cachaça com picolé nos copos vermelhos foi muito legal), e os aplausos em três ondas nao deixaram dúvida do impacto do filme: nao foi um aplauso fácil, foi um daqueles em que o público revela que ainda está refletindo sobre o que viu, o que é fantástico.
É difícil escrever sobre um filme que se conhece desde o início e de que se tem orgulho de ter de alguma maneira colaborado (ver o nome nos créditos no final é o máximo!). Só posso dizer que a traduçao cinematográfica que os diretores construíram está à altura do desafio assumido frente a uma literatura de tamanho quilate.
Muito bom.

Nenhum comentário :