terça-feira, 1 de dezembro de 2009

do começo ao...... fim com uma piada antiga

Assisti a "Do começo ao Fim" na sexta-feira, sala pequena no shopping, bastante cheia considerando o horário da sessão, 23:45. Estava na dúvida se postava algo sobre, o que já diz muito. O filme é uma grande decepção frente ao que o super bem editado trailer prometia: as imagens são bonitas, os atores são bonitos, mas a história..... não tem. Elogiei aqui "De repente Califórnia" (Shelter) por ser um feel good gay-movie, mas considerando o tema do incesto, "Do começo ao Fim" é relax demais..... não precisava terminar em tragédia nem em tristeza, mas se espera alguma dificuldade social em lidar com o tema...... no filme, esta espera é em vão. Ou alguma discussão psicanalítica em torno da figura da mãe, outra vez nada.
Os atores mirins roubam a cena (e por isso esta parte do filme deve ter a duração que tem), a música é excessivamente dramática e alta, Julia Lemmertz sempre muito bem, e chama a atenção por motivos óbvios a profissão do pai do filho mais novo: arquiteto. Combina bem a imagem da profissão com a desejada liberalidade pouco comum para o personagem, embora entre esta imagem e os arquitetos que conheço haja um grande abismo.
Mas isso me fez lembrar uma piada que escutei quando estudante de arquitetura: "existem entre os seres humanos 6 diferentes orientações sexuais: homem que gosta de mulher, mulher que gosta de homem, homem que gosta de homem, mulher que gosta de mulher, Caetano Veloso e arquiteto." Deve ser por aí a naturalidade excessiva do filme; nem na Califórnia!

Um comentário :

Halbermensch disse...

Não assisti a este filme. Nem sei se quero assistir. Sei que vou assistir...