quinta-feira, 20 de maio de 2010

das razoes nao ditas de um duplo assassinato

A imprensa nacional noticiou hoje o caso dos vizinhos em Sao Paulo que se mataram em uma briga cujo motivo foi o local de depósito do lixo. Alguns experts apareceram na TV pedindo mais cabeca fria da populacao e o controle de armas. Tudo bem, isso pode ate contribuir para evitar mortes estúpidas como estas. Mas a principal razao está sem dúvida na vida em monstruosas densidades populacionais, onde as pessoas nao tem direito a nenhuma área livre, a nenhuma privacidade, a nenhuma área de lazer. As imagens da rua onde isso tudo aconteceu em Sao Paulo revelam bem a situacao: casas com puxadinhos até onde o vizinho nao foi, calcadas estreitíssimas, completa falta de infra-estrutura.
As mortes sao apenas uma mínima ponta do iceberg do desconforto de quem mora tao apinhado uns sobre os outros, como nas cidades brasileiras: ruídos, odores, lixo, privacidade, caprichos, manias, individualidades, tudo que deveria acontecer de maneira privada é forçosa e violentamente (como nao há alternativa, pois nao há infra-estrutura) compartilhado, esmiuçado, tornado público. No país do grande sucesso do BigBrother, que assim visto funciona como uma celebracao dupla do cotidiano nacional, um vizinho resolveu mandar o outro pro paredao: ele só nao percebeu que naquela noite mais de um poderia ser eliminado pelo público.

Nenhum comentário :