domingo, 15 de agosto de 2010

leite de chernobyl ou Obama toma um banho de mar

Algumas semanas depois do acidente de 26 de abril de 1986, chegaram aos supermercados no Brasil (ao menos na Bahia, e nao foi pouco) estoques consideráveis de leite em pó belga ou holandês, muito mais barato do que o nacional. O sabor era ligeiramente estranho, algo meio salgado, como leite em pó desnatado. Era uma época onde nada, nada importado - a nao ser uísque paraguaio - tinha alguma condicao de ser mais barato do que o equivalente nacional, muito menos leite, no país com o maior rebanho bovino do mundo. O povo nao demorou a saber que se tratava de leite de Chernobyl - algo veementemente desmentido pelos políticos de entao. Muito antes dos tempos do governo distribuir dinheiro para os pobres, a solucao popular foi a de alterar o ditado antigo que dizia "o que nao mata, engorda", para "o que nao mata imediatamente, engorda", afinal os níveis de radiacao na Europa do Norte nao foram os mesmos da Ucrânia.
Hoje pela manha abri a página dos jornais na internet e dei de cara com a foto de Obama ao lado da filha tomando banho nas águas do golfo do México, e já fiquei de mau humor para o resto do dia. Nao quero nem imaginar a química que os dois devem ter passado na pele antes e depois da sessao de fotos, e talvez mesmo a que tiveram que ingerir, para que depois nao venha a surgir nenhuma dúvida na opiniao pública de que o banho no Golfo do México é o mais saudável que existe. Os políticos populistas nao conhecem limites: quando Obama esteve pela quarta vez sobrevoando e caminhando pelo Golfo do México, eu fiz um comentário no twitter - que eu achava ser irônico - sobre a possibilidade de ele talvez estar procurando um lugar para passar as férias. Agora tenho que constatar que era verdade, como pude ser tao ingênuo.
O banho de Obama nas águas do Golfo do México é o equivalente de um político brasileiro que tenha tomado um copo de leite de Chernobyl na frente das câmeras para dizer que nao tinha problema algum com o "leite importado da Europa". E depois correr para o banheiro para vomitar tudo. Um dos piores aspectos da política é o populismo, a entrega descarada aos meios de informacao, a justificativa de que tudo o que se faz é feito porque assim o quer a maioria, e a celebracao deste cinismo. Nada, absolutamente nada é efetivamente sério para uma pessoa que faz algo assim. O banho de Obama faz o desastre ecológico ainda mais desastrado. O Havaí e o Haiti nao sao ali.
Ainda nao vi político brasileiro fazendo cirurgia pelo SUS, nem  indo morar na favela apaziguada, nem usando diariamente transporte público (isso eles fazem um dia na época de campanha; logo, logo veremos os suvacos suados na TV). Banho de mar no Golfo do México é moleza, hein senhores e senhoras candidatos?

Um comentário :

Alessandro disse...

Com isso lembrei de uma piada onde um político no interior de SP, para ser solidário aos portadores de AIDS (nos tempos de pouca informação), resolve com uma seringa injetar sangue contaminado em si proprio. E um correligionário ao descer do palngue faz a pergunta...que loucura é essa, vc não passou da medida....e ele responde baixinho....é que eles não sabem...na hora da aplicação eu tava usando camisinha!!!!....será que Obama não estava usando camisinha?