domingo, 26 de dezembro de 2010

do verao ao inverno na noite de natal

a dengue me fez adiar meu vôo e viajar na noite do Natal: eu sabia que o avião estaria vazio (e muitos puderam dormir deitados na fila central) mas não contava com fauna tão esquisita, encabeçada pelos baratíssimos turistas italianos voltando para casa. Também havia famílias brasileiras que pareciam ter comprado pacotes mais baratos pela data, como no último episódio de A grande Família. Mas o avião estava vazio, ninguém chegou a incomodar ninguém.
Muita chuva e muio frio em Lisboa, a parte nova do aeroporto além de ser horrorosa não possui calefação, ali dentro fazia os mesmos 9 graus de lá fora, e o avião atrasou uma hora para sair em direção a Munique. Bem, Lisboa, como sempre.
O avião fez várias voltas antes de pousar: do alto os poucos automóveis nas estradas do dia feriado e a neve cobrindo tudo compunham uma cena de fim dos tempos. No chão, impressionava o exército de tratores que mantém a pista do aeroporto limpa, que era a única área não coberta de neve. Aliás, no momento da aterrissagem nevava aquela neve seca, fininha, boa para esquiar. O finger em Munique era de tão frio a antítese mesma do finger no Galeão há menos de um mês, quando fazia 39°C lá fora às 18 horas e dentro do finger parecia fazer 50°C no mínimo.
Minha mala chegou apesar da etiqueta super mal impressa em Salvador. Como o avião atrasou, deu para tomar uma Leberknödelsuppe ainda no aeroporto, no tempo de espera do trem. Em Traunstein, tanta neve que não dava para mudar de lado na rua. Frio, como sempre.
Os ingressos para o show de Tennis já estavam na caixa dos correios. Agora é só esperar até o dia 14.

Um comentário :

Cristina Ventura disse...

Adoro sair daqui no verão e chegar em pleno inverno em outro lugar
Boas férias!
Cristina Ventura