sexta-feira, 5 de agosto de 2011

SPAN, uma (muito) pequena exposicao de arquitetura

Em cartaz no MAK, em Viena, uma exposição sobre o trabalho de SPAN, o escritório de arquitetura que assinou o pavilhão austríaco, muito bom por sinal, na exposição mundial de Xangai no ano passado. A foto da galeria no flyer do museu prometia muito, chegando lá a surpresa foi grande: o forro plotado, em forma de concha, que domina todo o espaço reservado para a exposição, abriga quase nada: duas tvs e uma plotagem 3D. A plotagem 3D é bem interessante, apresentada na altura de uma cama e com padroes naturais, pode ser lida como uma colcha cujos padroes florais ganharam tridimensionalidade ou um relevo de uma planeta distante representado em escala: legal mesmo é ver a sequência linear de ação do equipamento de fresagem sobre o material.
Nas TVs sao apresentadas em forma de loop contínuo duas animaçoes: uma delas mostra uma estrutura para lá de orgânica, extremamente próxima esteticamente ao Alien dos filmes, que vai sofrendo uma metamorfose contínua. A outra animação parte de imagens aéreas de cidades - uma delas Barcelona (afff......) - para descrever a metamorfose da estrtura urbana contaminada por um desenho como o mostrado na primeira animação.
Muito estranho na estrutura alienígena é a sua simetria, absoluta, que leva inclusive cada imagem parada a parecer uma prancha do teste de rorschach: porque algo tão assumidamente orgânico não pode ser mais adaptável, menos ligado a um eixo rotacional de movimento e um eixo de simetria de composição?
Na segunda animação, a metamorfose, que surge como um vento sobre as cidades, acaba gerando uma associação maior de destruição cancerígena do que de uma alternativa não racionalizada para o espaço urbano.
Sim, as perspectivas do mundo não são mesmo muito boas atualmente. Mas eu nunca vi com tão pouco se montar uma exposição de arquitetura.

Nenhum comentário :