terça-feira, 1 de maio de 2012

a grande exceção: o trio nordestino entrevistado no Bahia Meio Dia

Hoje à hora do almoço assisti a uma entrevista que vai entrar para a história como a grande exceção de tudo o que já foi feito em termos de entrevistas com cantores, músicos ou atores no Bahia Meio Dia (noticiário no horário do almoço na emissora local da Globo). Na entrevista, o Trio Nordestino conseguiu transmitir alguma informação de valor e, pasmem!, com algum conteúdo crítico! Nisso consiste a qualidade de exceção, é claro.
Os músicos deixaram claro ao público televisivo que eles se apresentam com uma banda de baixo, bateria e guitarra somente no Nordeste, porque o público do Nordeste, por motivos estéticos (!), exige que o forró seja tocado deste jeito. O som "precisa" ficar mais "cheio" e, além disso, com a "ajuda" de casais de bailarinos que dançam ao lado da banda, é possível preencher a área do palco. Foi muito bom ouvir os músicos afirmarem que para fazer a música deles, eles não precisam de nada disso.
Falta de cultura é isso: para escutar o Trio Nordestino tocar a música nordestina de acordo com a sua tradição - e em função de sua origem rural esta é uma música da qual se espera isto que está contido na noção de tradicional - é preciso escutá-lo fora do Nordeste. Não é preciso dizer mais nada.


Nenhum comentário :