segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

coerência, please

A FIFA é aquela organização internacional que, em associação com o governo brasileiro, irá promover a copa do mundo no Brasil em 2014. A FIFA tem uma história marcada por corrupção, escândalos financeiros, autoritarismo e uma fama para lá de ruim no que diz respeito às relações de influência entre os direitos de transmissão de TV, patrocínios de grandes marcas relacionadas ao esporte, políticos e federações nacionais. Ou seja, ao redor dela localiza-se uma série de "problemas" relacionados ao esporte profissional.
As demonstrações de junho de 2013 no Brasil dirigiram-se, entre outras coisas, contra a nefasta associação entre esta organização e o governo brasileiro, que deixará para a população um dívida financeira imensa e nenhuma "contrapartida", como foram denominados os objetos dos gastos previstos além dos estádios. E sem que ninguém tivesse sido consultado.
Então está no ar, há duas semanas pelo menos, uma campanha que insiste que a FIFA deveria escolher dois atores para uma cerimônia, em detrimento de outros dois, que vêm sendo agora alvo de acusações que chegam a transferir para os escolhidos todas as mazelas da nação brasileira, históricas e contemporâneas. Ora, sendo a FIFA o que é, porque as pessoas acham uma coisa tão legal, massa e bacana trabalhar para ela? O lógico não seria sentir-se orgulhoso de não ceder a mais valia para organismo tão nefasto?
Eu acho que as pessoas têm que se decidir: ou brigam para ter A ou B na festa da FIFA, reconhecendo com isso um valor positivo em tal organização, e esquecem tudo o que aconteceu em junho de 2013 e não reclamam mais de nenhum engarrafamento em cidades brasileiras, ou guardam o direito de ter alguma coerência crítica em relação a tal organização. Afinal, os escolhidos para a tal da festa serão seus representantes.

Nenhum comentário :