quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

na mesma onda

Nao sou economista, mas ler gráficos nao é algo tão dificil assim. 
O desenvolvimento das moedas dos ditos "emergentes" no período dos útlimos 12 meses indica antes de mais nada que o fenômeno é comum a eles. Entao, nao teria como inventar discursos de que o brasil está fora disso ou de que o brasil é robusto para tratar um tsunami como se fosse uma marolinha; a onda é mais ou menos igual para todos.
Parece que se sairá melhor desta quem tiver melhores ideias, capacidade de acao e lastro verdadeiro. Só sei que Rússia e Brasil tem dívidas imensas com equipamentos esportivos, o que nao deve melhorar muito a situação destes países. Aguardemos os competentes no assunto. Só nao sou de recomendar orações, mas parece que seria o caso.

Nenhum comentário :